Conhecendo Portugal, primeira parada: Coimbra

Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Olá pessoal! Depois de umas férias, o blog Livro de Viagens volta cheio de novidades e milhares de quilômetros rodados. No primeiro post de 2015 vou mostrar a encantadora cidade de Coimbra, na região central do país. Portugal é um país pequeno com 10 milhões de habitantes e apenas 91 mil quilômetros de área. Para ir de uma ponta a outra são apenas 721 km, ou seja, é possível atravessar o país em apenas um dia.

As estradas são ótimas e há sempre duas opções: a Autoestrada (A) com pedágios e as Nacionais (N) de graça. Nos 3.000 km que rodamos, andamos pelas duas rodovias e ambas são boas, a diferença é que a auto-estrada tem menos curvas e você pode dirigir a 120 km/h, nas Nacionais a média de velocidade permitida é de 70 km/h.

Chegando à Coimbra em um sábado a tarde, todos parecem dormir, a tarde fria do inverno é convidativa. A primeira parada é a Quinta das Lágrimas, um lugar cheio de história. A área de 18,3 hectares fica em torno de um palácio do século XIX, hoje um hotel de luxo. No local estão a Fonte dos Amores e a Fonte das Lágrimas.

Palácio do século XIX, hoje o hotel Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

Palácio do século XIX, hoje o hotel Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

Jardins da Quinta das Lágrimas. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Jardins da Quinta das Lágrimas. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Os jardins marcam o romance entre Inês de Castro e o príncipe D. Pedro I. A romântica tragédia coloca neste local a morte da bela Inês. A Fonte dos Amores aparece documentada depois da morte de Inês de Castro e integra hoje o parque de árvores centenárias, ruínas medievais e neo-góticas. Foi no século XIV que o amor proibido do príncipe D. Pedro pela pobre donzela Inês de Castro foi vivido.

Conta a lenda que foi nesse local que Inês chorou pela última vez, ao ser morta a mando do pai de Pedro, o Rei Afonso IV. O sangue que então derramou ainda dá cor às pedras da fonte que nasceu das suas lágrimas. Foi aqui que surgiu a expressão “agora Inês é morta”. O príncipe Pedro se casou em segredo com Inês e só revelou depois, mas aí Inês era morta. Mesmo assim, Pedro a coroou rainha e obrigou seus vassalos a beijarem sua mão. É ou não é uma linda e verdadeira história de amor?

Fonte das Lágrimas, o sangue de Inês. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte das Lágrimas, o sangue de Inês. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte das Lágrimas, o sangue de Inês. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte das Lágrimas, o sangue de Inês. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte das Lágrimas. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte das Lágrimas. Coimbra, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

A fonte da quinta foi denominada por Luís de Camões em “Os Lusíadas”, como Fonte das Lágrimas, referindo que a mesma nascera das lágrimas derramadas por Inês ao ser assassinada.

As filhas do Mondego, a morte escura

Longo tempo chorando memoraram

E por memória eterna em fonte pura

As Lágrimas choradas transformaram

O nome lhe puseram que ainda dura

Dos amores de Inês que ali passaram

Vede que fresca fonte rega as flores

Que as Lágrimas são água e o nome amores.

Os Lusíadas, canto III. Luís de Camões.

Fonte dos Amores. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte dos Amores. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte dos Amores. Foto: Amanda Corrêa.

Fonte dos Amores, 1326. Foto: Amanda Corrêa.

A vista da Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

A vista da Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

As árvores da Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

As árvores da Quinta das Lágrimas. Foto: Amanda Corrêa.

Outro lugar incrível para visitar é o Parque de Santa Cruz, também em Coimbra. Popularmente conhecido como Jardim da Sereia, estava integrado na cerca do Mosteiro de Santa Cruz e data do século XVIII. Um parque calmo e com uma energia incrível.

Parque de Santa Cruz. Popularmente conhecido como “Jardim da Sereia”, estava integrado na cerca do Mosteiro de Santa Cruz e data do século XVIII. Foto: Amanda Corrêa.

Parque de Santa Cruz, popularmente conhecido como Jardim da Sereia, século XVIII. Foto: Amanda Corrêa.

Serviço:

O quê: Jardins da Quinta das Lágrimas.

Categoria: Jardim / História de Portugal.

Horário de Verão: 16 de Março a 15 de Outubro: de terça a domingo, das 10h00 às 19h00. Horário de Inverno: 16 de Outubro a 15 de Março: de Terça a domingo, das 10h00 às 17h00.

Endereço: Hotel Quinta das Lágrimas – Rua António Augusto Gonçalves,  3041-901. Coimbra, Portugal.

Ingressos: € 2,50 ou alguma consumação no bar/restaurante do Hotel.

Informações: http://www.quintadaslagrimas.pt

http://turismodecoimbra.pt/

Obs: o lugar é pet friendly.

Beijos, Amanda.

Anúncios

Um comentário sobre “Conhecendo Portugal, primeira parada: Coimbra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s