Doces portugueses: regionalismo e tradição

Ao visitar Portugal você vai se apaixonar pela gastronomia e tradição portuguesa. Do leitão ao queijo Serra da Estrela, tudo é muito saboroso e encantador. Da apresentação ao sabor, e principalmente pela tradição. As receitas são seguidas à risca e cada região tem o seu doce específico. Aqui em Braga, o doce tradicional é o Pudim Abade de Priscos que já contei nesse post. Doçaria conventual é como são chamados os doces produzidos em conventos. A maioria das receitas é composta com grande quantidade de gemas de ovos e açúcar. Vamos a lista dos meus favoritos! Espero que se apaixonem assim como eu!

1) Queijada

Queijada. Foto: Divulgação Web.

Queijada. Foto: Divulgação Web.

Tradicional da cidade de Évora, é leve, não é muito doce, como todos os doces portugueses. No Brasil estamos acostumados com bolos e sobremesas muito doces. Aqui não, é tudo na medida. Simplesmente uma delícia!

2) Toucinho do Céu

Toucinho do Céu. Foto: Divulgação Web.

Toucinho do Céu. Foto: Divulgação Web.

Tradicional na região de Trás-os-Montes e Alto Douro é composto de gemas de ovos, açúcar, amêndoas e banha de porco, na versão original da receita.

3) Ovos Moles

Ovos Moles. Foto: Divulgação Web.

Ovos Moles. Foto: Divulgação Web.

Os tradicionais Ovos Moles de Aveiro (conhecida como a Veneza portuguesa) foram criados por freiras em vários conventos do século XIX. Elas usavam a clara do ovo para engomar os hábitos e para não desperdiçar as gemas, tiveram a ideia de criar o doce. Ele é revestido por hóstia e com formatos de peixes, conchas, búzios e amêijoas. Uma fofura, que dá para levar em caixas de presentes na mala!

4) Castanha de Ovos

Castanha de Ovos. Foto: Divulgação Web.

Castanha de Ovos. Foto: Divulgação Web.

O doce é tradicional da região de Estremadura, uma província portuguesa já extinta, localizada no Sul do Douro. Leva na receita apenas 500g de açúcar, 2,5l de água e 32 gemas! 

5) Pastel de Nata

Pastel de Nata. Foto: Divulgação Web.

Pastel de Nata. Foto: Divulgação Web.

O mais conhecido doce português do mundo não poderia faltar na lista. Foi criado em 1837 na região de Belém em Lisboa. Ele é crocante por fora e mole por dentro. Você precisa comer quentinho com canela e açúcar! Para comer rezando…

Qual o preferido de vocês?

Beijos, Amanda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s