Como conseguir desapegar e mudar de país

Gerês, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Gerês, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Olá pessoal! Quando comecei o blog, minha ideia era dar dicas de viagens e mostrar os lugares lindos da Europa. Mas tenho percebido, que o que vocês mais querem saber é sobre a mudança de vida. Então vou falar um pouco sobre a experiência e como fazer para desapegar das suas coisas.

Acredito que eu seja um ótimo exemplo de uma pessoa apegada. Eu não gostava de emprestar roupas, bolsas e sapatos para minha mãe e para minha irmã. Eu guardava até embalagem de presente. Eu tinha uma caixa fitas e laços (usados). Eu guardava bijuterias quebradas. Eu guardava apostilas e cadernos do ensino médio. Sim, eu era muito apegada.

Meu marido dizia que eu era uma “junta tralha”, eu tinha um quarto de bagunça na minha casa, e quando recebíamos visita, eu precisava ficar horas guardando tudo. Apesar de ser apegada e gostar de guardar tudo, para “vai que um dia eu precise”, eu sempre fui organizada. Sempre tive uma bagunça organizada.

Braga, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Braga, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Quando eu e meu marido resolvemos vender tudo e vir morar em Portugal, a primeira coisa que perguntei a ele foi: “E meus imãs de geladeira?”. Ele começou a rir e disse que eu poderia levar junto. Mas não, eu não trouxe. Eu também não trouxe pulseiras, sapatos de salto alto, vestidos de festa, bolsas, 10 sacos de roupa, e tudo que cabia em um apartamento de dois quartos. A minha nova vida coube em duas malas de 32kg. Uma mudança enorme para quem guardava até a garrafinha de água que sua banda preferida bebeu. Sim, eu tinha garrafinhas e toalhas usadas pelo Nenhum de Nós. Ok? Um pouco demais, eu sei. Meu marido é meio psicólogo e diz que eu sempre me apeguei muito em médicos e bandas por não ter tido pai. Segundo ele, eu idolatro “heróis” ou “pop stars” masculinos, para ter uma ideia de proteção e imagem masculina.

Tudo bem, acho que é isso mesmo. Mas, você deve estar se perguntando como eu vou desapegar daquilo que levei anos para comprar e conquistar? Eu te respondo: O que você vai levar dessa vida?. Eu comecei a me questionar muito, quando um amigo próximo, a pessoa mais do bem que eu conhecia, morreu aos 35 anos. Como de um dia para o outro, você pode não estar mais vivo? Por que a vida é tão injusta?

Simplesmente não existe justiça na vida. Você nunca sabe, nem poderá imaginar até quantos anos vai viver. Vemos crianças morrendo de câncer…  sem terem vivido nada. Aí você se pergunta: Por que eu vou me apegar a coisas materiais? Por que eu vou comprar roupas de marca? Por que eu vou alisar o cabelo? São questões simples e ao mesmo tempo, complexas. Nós, mulheres perdemos muito tempo com feminices e deixamos de lado o que realmente importa.

Quando é hora da mudança de casa, de cidade e país, você repensa tudo que já viveu e tudo que ainda quer viver.

Morar fora te faz crescer e evoluir muito. Hoje, posso afirmar que sou uma pessoa muito menos ansiosa e muito menos apegada. Se eu tiver que mudar amanhã para Alemanha, com apenas uma mala, eu consigo. E isso você só aprende vivendo. Se você tem a oportunidade de morar fora, faça. Mude. Viva. Experimente. Diga Sim. Coma aquilo que você nunca teve coragem, vá de chinelo ao shopping, caminhe 17km como você nunca caminhou antes.  Largue o carro, ande a pé. Visite um país que você não sabe a língua.  Mude, mude sempre, mude todo dia. Você vai se surpreender.

Braga, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Braga, Portugal. Foto: Amanda Corrêa.

Anúncios

2 comentários sobre “Como conseguir desapegar e mudar de país

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s